Ação & Contexto

sobre fotografia, fotojornalismo e novas mídias

Posts Tagged ‘passarela

Carnaval 2010: desfile das campeãs na Nego Quirido

with one comment

Apresentação da escola de samba mirim Mensageiros da Alegria

Mestre-sala e porta-bandeiras da Mensageiros da Alegria

Carro alegórico da grande sociedade Granadeiros da Ilha

Carro alegórico da grande sociedade Tenentes do Diabo

Desfile do bloco campeão A Nossa Turma

Desfile das campeãs na Passarela Nego Quirido lotou as arquibancadas na noite de terça (16)

Cidadã samba da Coloninha (Lucas Sampaio/ND)

Prefeito Dário Berger entrega faixa à nova cidadã samba de Florianópolis

Cidadãos samba da Coloninha são premiados como representantes da cidade em 2010

Bateria furiosa faz paradona na avenida em comemoração à nota máxima dos jurados

Bateria da Protegidos da Princesa comemora na Dispersão após desfile do vice-campeonato

Abre-alas da grande campeã do Carnaval 2010 de Florianópolis

Integrante da comissão de frente da Copa Lord brilha na passarela

Jaqueline Aranha, rainha da bateria da Copa Lord, samba para componente

Paradinha da bateria da Copa Lord para simular reza à Alá conquistou o público

Mestre Duda comanda bateria guerreira, que tirou um 10 e dois 9,9 dos jurados

Anúncios

Ensaio não-técnico na passarela

with one comment

Quem foi à passarela Nego Quirido para ver e participar do primeiro ensaio técnico de uma escola de samba de Florianópolis acabou voltando para casa frustrado. Os integrantes e admiradores da Coloninha que deveriam aproveitar o sábado a noite para afinar o samba-enredo e se prepararem para o desfile de 2010 se depararam com o local sujo, escuro e em obras.

Apesar da agenda de ensaios técnicos e apresentações nas próximas semanas, a passarela encontrava-se cheia de terra, materiais de construção e sem a mínima condição de receber agremiações em suas dependências. Na noite do dia 23 dois banheiros químicos que servem aos operários das obras do local serviam aos que se atraveram sair de casa para se divertir e trabalhar. Os banheiros dos prédios encontravam-se em reforma, sujos e sem as mínimas condições de utilização.

Na passarela, um caminhão se encontrava estacionado no recuo – local designado para a bateria executar seu movimento. Com a presença indesejada do veículo o ensaio, que deveria ser técnico, tornou-se impraticável. Não suficiente o caos encontrado pelos foliões e a chuva que caiu no sábado a noite, as luzes da passarela Nego Quirido encontravam-se apagadas e o asfalto da avenida possuía rachaduras e pequenos buracos que poderiam provocar torções e quedas dos carnavalescos a menos de um mês para o desfile oficial na avenida.

Dessa forma, o ensaio da escola de samba Coloninha foi realizado de forma improvisada nas dependências do Centro Sul. Descaso total do poder público para com o bem público e a população florianopolitana.

O sábado que era para ser de festa transformou-se em dor de cabeça para os integrantes da Coloninha

Barro e sujeira, além da desorganização no local, tornaram o ensaio técnico missão impossível para a escola

Luzes da avenida completamente apagadas impediam ensaio técnico da agremiação no devido local

A poucos metros da passarela, areia, madeira, pedras e materiais de construção roubavam a cena

Os que resolveram enfrentar o barro e a falta de infraestrutura acompanharam o ensaio em frente ao Centro Sul

Apenas os dois banheiros químicos destinados aos operários das obras do local serviam aos presentes

Local destinado ao recuo da bateria transformou-se em estacionamento que impedia o ensaio técnico

Pequenos buracos e rachaduras serviam de convite à torções e contusões dos integrantes da Coloninha