Ação & Contexto

sobre fotografia, fotojornalismo e novas mídias

Archive for the ‘esporte’ Category

Figueirense 2 x 0 Santo André, Bruno José Daniel

with 2 comments

 

 

 

Figueirense passeia na véspera do Dia dos Pais

with one comment

Hoje o dia foi de alegria para a torcida do Figueirense. Com uma sonora goleada por 5 a 1 no estádio Orlando Scarpelli contra o Icasa, de Juazeiro do Norte (CE), e uma derrota por 4 a 1 do Avaí contra o Guarani em Campinas, a festa foi completa. Fim de semana de muita comemoração para o papais alvinegros, que viram seu time chegar à vice-liderança da Série B do Campeonato Brasileiro de 2010 e o rival perder a primeira partida pós-Copa.

Fernandes comemora com Maicon o primeiro gol do Figueirense

Bela substituição de Márcio Goiano: Roberto Firmino fecha a goleada

A torcida chiou e Fernandes pediu pênalti, mas Simon nada marcou

Willian foi o único atacante a passar em branco nessa tarde

Lucas comemora o segundo gol do jogo diante da torcida

Reinaldo fez seu primeiro jogo diante da torcida alvinegra

Fernandes chuta de primeira para fazer seu primeiro gol no campeonato

Willian tentou, mas não conseguiu fazer o seu na goleada

Até Nicácio desencantou e deixou o seu

Estreia com o pé direito no Scarpelli para o experiente atacante Reinaldo

Com a goleada, Figueira assume a vice-liderança da Série B

95 anos de Clube Náutico Riachuelo

with 4 comments

Nos anos 60, o remo foi considerado o esporte mais praticado no Brasil. Nesse período, até meados dos 70, a modalidade viveu seus anos de ouro em Florianópolis, colecionando vitórias, participações na seleção brasileira e sediando provas junto à Ponte Hercílio Luz.

A rivalidade entre três clubes tradicionais da cidade facilitou a formação de atletas e ajudou a difundir o remo no País. O Clube Náutico Riachuelo, uma dessas agremiações, comemora neste sábado 95 anos de história. Além de homenagens a personalidades que participaram dessa trajetória, o clube que deu luz ao Avaí prepara uma nova geração de craques que sonham repetir em 2016 o feito heróico de 1936, quando um grupo de cinco manezinhos do Riachuelo disputou a olimpíada de Berlim, na Alemanha.

O mar refletindo a luz do sol convida à pratica do remo mesmo nos dias frios (Lucas Sampaio)

RIO-2016

Hoje, cerca de 40 atletas treinam no clube, na orla da baía sul. Destes, 12 formam um grupo de jovens valores que sonham com uma vaga na equipe olímpica para 2016. A partir de segunda-feira, todos serão observados pelo técnico da seleção brasileira, o francês José Oyarzabal, que percorre o país à procura de novos talentos e pretende ficar uma semana em Florianópolis.

A festa de sábado, a partir das 10h, vai distribuir placas de agradecimento aos Amigos do Riachuelo, e também comemorar a chegada de seis barcos novos, adquiridos com o apoio do governo do estado. “Material de primeira, fibra de carbono, tecnologia de fórmula um”, vibra o presidente, Ivan Willam, 65 anos, ele próprio campeão brasileiro nos anos 70.

Equipe four-skiff imbatível do Riachuelo se prepara para cair na água (Lucas Sampaio)

INVENCIBILIDADE

No dia seguinte, haverá a 2ª etapa da Copa Catarinense de Remo, que vai reunir na baia sul os únicos quatro clubes que ainda atuam no estado – três da capital (Riachuelo, Martinelli e Aldo Luz) e um de Blumenau. Entre as 25 modalidades que serão disputadas, o Clube Náutico Riachuelo pretende manter a invencibilidade de quatro garotos de 16 anos.

Najuan Guth, João Gonzatto, Alisson Souza e Antônio Júnior nunca perderam uma competição atuando juntos no four-skiff (modalidade para quatro remadores sem timoneiro). Pretendem vencer a etapa no domingo para se apresentar ao treinador francês invictos e com mais um troféu na coleção.

Antônio Júnior se posiciona na proa para treinar com os colegas (Lucas Sampaio)

AVAÍ

No Riachuelo, todos se orgulham do clube ter sido o berço do Avaí, que herdou do remo as cores azul e branco que permanecem colorindo a sede na orla da baía sul. Segundo Ivan, os rapazes que fundaram o Avaí, em 1923, foram os mesmos diretores que criaram o Riachuelo, em 1915. “O primeiro jogo do Avaí foi com as camisetas do Riachuelo”, garante. Assim como o clube de futebol, o irmão mais velho do remo mantém ainda um projeto social com 33 garotos na escolinha, a maioria meninos e meninas das comunidades carentes, que não pagam mensalidade.

33 crianças são beneficiadas por projeto de inclusão social do clube (Lucas Sampaio)

Crianças beneficiadas pelo projeto ao final de mais um dia de esporte (Lucas Sampaio)

* Texto adaptado da matéria do jornalista Róbinson Gambôa a ser publicada amanhã, 11 de junho, no jornal Notícias do Dia.

modalidade para quatro remadores sem timoneiro

Júlia Debowski, golfista promessa para o Rio-2016

with one comment

Em 2016 ela terá apenas 19 anos, mas mesmo assim Júlia sonha alto. Será no Rio de Janeiro, depois de 112 anos, que o golfe voltará a ser considerado modalidade olímpica. Se depender dos planos dessa promessa de apenas 13 anos, estaremos bem representados no Rio-2016.

Mesmo sabendo das dificuldades de ser a primeira do ranking nacional até lá, a catarinense natural da Fraça Júlia Debowski já mostra resultados expressivos. É atual líder do ranking nacional sub-15, ganhou as três etapas do circuito brasileiro na sua categoria em 2010 e, na última das vitórias, o Tour Nacional de Golfe de Curitiba, ficou em segundo lugar na classificação geral feminina.

Avaí goleia Imbituba na discreta estreia de Sávio

with one comment

Zagueiro-capitão Rafael sobe sozinho para fazer o primeiro dos quatro gols do Avaí na Ressacada

Jandson aproveita cruzamento de Davi e amplia o marcador aos 15' do 1T

Jandson é o primeiro atacante avaiano a marcar gol em 2010

Apesar de correr bastante e buscar jogo, Sávio teve estreia discreta e foi substituído

Felipe Oliveira desloca Zé Carlos com paradinha e desconta para o Imbituba

Péricles Chamusca foi muito vaiado após substituir Sávio e ver o Avaí sofrer o gol de empate

Para desespero do técnico Joceli dos Santos e euforia do banco de reservas avaiano, Medina comemora terceiro gol

Uma outra linguagem para o fotojornalismo esportivo

leave a comment »

Na primeira sexta-feira de dezembro (4), apresentarei à banca examinadora o meu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) para graduação em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). O horário ainda não foi definido – 17h ou 19h -, mas o local da defesa será o Auditório Henrique da Silva Fontes, no Bloco B do Centro de Comunicação e Expressão (CCE) da UFSC.

Uma outra linguagem para o fotojornalismo esportivo (Lucas Sampaio)

Wellington Amorim fecha o placar (2 a 0) para o Ceará contra o Ipatinga no Castelão pelo 1º turno da Série B